terça-feira, 27 de junho de 2017

[AÇÃO GAMES 007] BATMAN: THE VIDEO GAME (NES)



Não há absolutamente nenhuma razão para o Batman da SunSoft ser bom. O jogo foi lançado apenas alguns meses após o filme do Tim Burton, teve muito pouco a ver com o blockbuster e estava competindo contra os visuais surpreendentes do próprio do Mega Drive. Junte isso com o fato de que a maioria dos jogos de filmes são lixo total e você tem uma receita para um péssimo jogo. Mas há algo sobre este jogo Batman de 8 bits que desafia toda lógica. Não só este é um dos melhores jogos de Batman já feitos, mas é um dos melhores jogos de 8 bits já feitos.



A verdade é que este jogo Batman tem muito pouco a ver com o filme real do Batman. Enquanto você luta por lugares que se assemelham a coisas que você viu na tela, você está lutando contra um grupo de bandidos que parecem estar fora do lugar, na melhor das hipóteses. Existem criaturas mutantes estranhas, caras com lança-chamas e outros personagens assustadores que não têm nada a ver com o filme. As batalhas do chefe têm você enfrentando um computador gigante sem nenhum motivo. Não lembro disso do filme. Na verdade, não é até o final do jogo que você começa a ver sugestões do filme. As cutscenes parecem que foram coladas aleatoriamente de outro jogo ali só pra justificar a licença (tipo quando Doki Doki Panic virou Mario, saca?).

Justiça seja feita, os inimigos lembram um pouco mais
"O Cavaleiro das Trevas" que o filme do Tim Burton
Mas, honestamente, isso não tem a menor importância. O que o SunSoft criou pode não parecer o filme, mas certamente é muito divertido. A jogabilidade é saída direto de Ninja Gaiden. Você tem seu ataque básico (socos) e três armas extras que você pode trocar a qualquer momento. Essas armas incluem o batarang, um batdisk e um speargun de morcego. Cada uma dessas armas custa uma certa quantidade de pontos, então você será constantemente obrigado a colecionar munição para as armas, o que para grande diversão vem em abundancia no jogo.

É na jogabilidade real onde este jogo se parece mais com Ninja Gaiden. Não só Batman e Ryu Hayabusa se movem de maneira similar, mas ambos os personagens podem saltar das paredes. Este salto de parede não é apenas um truque descartável, o level design lança todos os tipos de armadilhas e situações perigosas para usar ao máximo essa habilidade. É a combinação dos ataques especiais e do salto na parede que fazem esse jogo tão divertido se jogar.

Nada funcionaria, é claro, sem controles altamente responsivos eficientes, e neste quesito a Sunsoft não decepcionou. Você pode morrer por erro seu ou porque o level design das fases é muito dificil, mas não porque o jogo é mal programado ou porque ele não respondeu como voce queria. É algo que parece simples, mas que visto feito com tanta fluidez por um game de Nintendinho que impressiona.

Parte Metroid, parte Ninja Gaiden. Não é Batman, mas é
awesome mesmo assim
O maior problema do jogo é justamente sua dificuldade, exarcebadamente alta. Isso se você acha ser um dos jogos mais dificeis do NES um problema isso é. Mas como eu disse, ao menos essa dificuldade não é artificialmente criada com mortes trapaceiras e controles ruins, e sim com um design de fases que é o cão chupando manga. Pessoalmente eu não me divirto tanto assim com jogos TÃO dificeis, mas isso é mais uma coisa minha mesmo.

Batman não é um jogo perfeito por qualquer meio, mas tem o mérito de ignorar o material de origem e entregar um jogo ação fenomenal no lugar. Na verdade podia ser qualquer coisa no lugar no Batman, inclusive Ninja Gaiden 4 - mas o que realmente importa é que o jogo é divertido pacas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário