domingo, 21 de maio de 2017

[GAMES] BATTLEBLOCK THEATER (ou chapéus, gatos e dorgas, muitas dorgas larilarila)

Após o sucesso de Castle Crashers, você poderia muito bem se perguntar o que os caras da Behemot estariam fazendo das suas vidas. Afinal, depois de criarem um dos sites mais populares da internet (o Newsground.com) e dois jogos muito bem recebidos (dificilmente você nunca ouviu falar de Alien Hominid ou Castle Crashers), então qual seria o próximo passo dos caras?

Ficar de boas e aproveitar seus iates, mansões, mulheres e cem mil dólares? Quase: tomar todas as drogas conhecidas pelo homem, é claro. Como eu sei disso? Eu sei porque eu joguei o terceiro jogo da Behemot, e nada senão a mais louca viagem de tóchicos explica BattleBlock Theater. Nada.

Em caso de dúvida não tome minhas palavras como verdadeiras, assista a música que encerra o jogo: “Afivele sua calça




Se a sua reação foi “o que foi que eu acabei de assistir?!“, então parabéns, você já está pronto para conhecer o Teatro dos Blocos de Batalha.

ERA UMA VEZ HATTY HATTINGTON E SEU NAVIO DE AMIGOS

Bem, sim, eu poderia contar a história de Hatty e seu “friend ship”, mas é melhor você mesmo assistir a abertura neurastênica do jogo. Eu sei que estou parecendo preguiçoso em colocar tantos vídeos em seguida, mas acredite: se eu tomasse tudo o que é necessário para transmitir o espírito da coisa agora, estaria escrevendo para vocês através do Chico Xavier.

Então assiste aí:



Depois de naufragar seu navio de amigos, a galera de Hatty acorda em uma ilha dominada por gatos e são gatos com lasers e serras circulares e passarinhos bombas! Vooossshhh cabooom, e mais bombas, e prisão com mais lasers e espinhos, frisbees explosivos voossh e shubnigurath eu te invoco!

… espera, o que acabou de acontecer aqui?

Yep. Esse é um jogo que você soca torradas sobre creminho da morte enquanto canhões disparam gelatina ceifadora de vidas. Você achou que eu estava exagerando sobre a loucura do jogo?

Enfim, você joga com um dos amigos de Hatty preso no Teatro do Bloco de Batalhas onde a maligna civilização de gatos os escraviza para jogarem jogos mortais (essas são as fases do jogo) para deleite de sua plateia de gatos. Tipo o Sobrevivente (o filme do Schwarzenegger) só que com gatos na plateia.

Cabe ao jogador explodir seu caminho através de cada um dos palcos e salvar Hatty e os outros prisioneiros náufragos, enquanto revelam os segredos por trás dos gatos e seu teatro. BattleBlock consegue equilibrar o humor pateta que o Behemoth consagrou em Castle Crashers com uma narrativa bastante sofisticada. Você vai querer saber mais sobre o que está acontecendo ali e… omfgshitload, um castor raivoso está vindo atrás de mim! Corre Berg, só corre!


 Enfim, de novo, como um prisioneiro para BattleBlock Theatre você deve conquistar uma série de percursos de obstáculos traiçoeiros em estágios 2D. Cada uma das ações básicas como correr, saltar, saltar, atacar e usar itens especiais explosivos funcionam muito bem. Eles funcionam redondinhos, mesmo quando usados em ambientes como tubos, correias transportadoras e plataformas de explosão.

Com tanta coisa acontecendo na tela, uma programação menos cuidadosa teria transformado o jogo em um equivalente videogamistico de uma cena de ação dirigida pelo Michael Bay. Por sorte, e talento dos rapazes da Behemot, não é o que acontece aqui. BBT sempre é muito gostoso de se jogar.

MAS E O QUE VOCÊ FAZ NESSE JOGO?

Cada nível ostenta um número de pedras preciosas para coletar. Para tornar o portal de saída ativo você deve coletar três gemas, só então você pode completar o nível. Mas isso é apenas o mínimo: cada nível geralmente tem várias jóias a mais para encontrar juntamente com um novelo de lã escondido (que é usado como moeda para subornar guardas gatos para comprar armas melhoradas, é claro).

E conseguir as gemas não é fácil. De fato, BattleBlock Theatre é um jogo realmente difícil. Níveis são projetados com armadilhas desnecessariamente redundantes de morte múltipla. Tipo, realmente desnecessárias.

 Há tantas maneiras de morrer no BattleBlock Theatre que o jogo seria frustrante se não fosse tão non-sense e engraçado. Mas ainda assim ele é bastante difícil, e os puzzles são inteligentes.

Eles são incrivelmente fluidos e demonstram muita criatividade em como completá-los. Usar portais, elevadores e catapultas, evitando lasers e guardas felinos pode tornar-se frenético, mas há uma poderosa sinergia em como BattleBlock Theater funciona: nada nos níveis parece desperdiçado. Cada pedacinho tem um propósito. Isso faz com que completar os quebra-cabeças seja envolvente.
BattleBlock Theatre tem um design de quebra-cabeças e jogo de plataformas em equilíbrio perfeito, tornando cada fase emocionante e satisfatória.

TRAGA OS AMIGOS E ENCERRE O CIRCO DE HORROR DOS GATOS

Fosse só um jogo de plataforma comum, tão comum quanto pode ser cavalgar em porcos para chegar até um navio de papel e cruzar um lago de gelatina, BBT não teria muita coisa de especial. Seria bom, mas Super Meat-boy alike indies tem aos borbotões por aí. Na verdade o manual do desenvolvedor hipster indie meio que obriga você a fazer um jogo de plataforma old-school super inovador (oi?), porque é meio que o que todos eles fazem.

O que torna BattleBlock Theater único, além da viagem lisérgica, é o modo cooperativo. Existem botões específicos no jogo para interagir com seu parceiro, permitindo puxar e arremessá-lo para avançar no jogo… mas que também permite sacanear seu coleguinha das formas mais criativas possíveis.

Sim, supostamente o jogo deveria ser cooperativo, mas quantos jogos te permitem catapultar seu amigo para um destino de morte e hamsters? Ou o bom e velho “não, cara, pode pular que eu te seguro… opa, olha só meu dedo escorregou do botão!”.

“Vida longa ao rei!”

Eu sou um homem simples de gostos simples, sabe? Qualquer jogo que permita recriar essa cena iconica do Rei Leão, já é um grande jogo para mim.

A tranquilidade e o sorriso no olhar do filho da puta que vai soltar o botão que está mantendo a plataforma assim que seu colega achar que conseguiu se safar da morte certa do guaxinim raivoso

Eu poderia encerrar elogiando o conjunto da obra de qualidades do jogo, mas vou apenas citar que esse é um jogo cujo narrador te dá frases de incentivo durante o jogo como: “Just run Like you have diarrhea and it’s starting to come out a little bit!“. Se isso não te fizer se interessar por essa pérola dos games indie, nada mais irá.

E significa que você não tem alma. Ou é um gato. O que dá na mesmo, no fim das contas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário