sábado, 13 de maio de 2017

[AÇÃO GAMES 007] TOMMY LASORDA BASEBALL (ou Super League Baseball no Japão)



Seguindo a série de "jogos genéricos de esporte que ganharam nome de uma celebridade para vender melhor nos EUA" temos Super League Baseball, que nos US and A virou o jogo do tiozinho que parece o Bill Clinton fora de forma

É meio estranho ligar o jogo e ser cumprimentado por esse camarada sorridente que eu não faço a menor ideia de quem seja mas sinto como se devesse conhecer, afinal até fizeram um jogo dele, não é?


Tal qual minha vida sexual, 95% das minhas tentivas de
rebater acabam sempre com a mesma palavra
Enfim, baseball não é um esporte tão alienígena quanto pode parecer no Brasil. Quem já jogou taco vai identificar facilmente o esporte, a principal diferença é que tem 4 bases ao invés de duas garrafas, mas a ideia permanece a mesma. Rebate, corre para as bases antes de ser pego, três pra trás entrega os tacos. Simples e rápido.

O jogo tem apenas 7 times e dezenas de estatisticas que eu não faço a menor ideia do que significam (aí é necessário ter uma familiaridade com o esporte mesmo). Mas o que eu precisava saber era que bastava rebater a bola e correr para o abraço, certo?

A parte de rebater nesse jogo é bastante o que você poderia esperar dela. Você pode movimentar seu personagem no pitch um pouco e apertar um botão para dar a tacapada. Nada de especial aqui. A maioria das bolas que eu bati não foi muito longe ou foram instantaneamente apanhado pelos fielders - e segue a velha regra do taco: pegou no ar está fora. É bacaninha, mas nada de especial.

O problema realmente começou quando foi a minha vez de arremessar. Não só a CPU tem uma taxa de rebatidas impressionantes (é muito dificil eliminar um jogador fazendo 3 strikes), como a parte de pegar a bola depois que ele rebate acabou se provando o real desafio aqui.

Qual o bonequinho que você está controlando?
Os bonequinhos são muito lentos para correr atrás da bola, e o jogo sequer tem a decencia de te dizer qual dos caras você está controlando! Teoricamente o computador escolhe o jogador para vc controlar só que além dele não te dizer qual escolheu ele ainda não faz isso muito bem, te dando as vezes um cara lá do outro lado do campo. Puta merda, nem um marcadorzinho nem nada cara! 

Então vai o seu gorduchinho tosco correndo atrás da bola, quando você pega a bola jogar ela de volta para a base antes que o adversário chegue nela é quase tão aleatório quanto se pode imaginar. Não raramente você vai jogar a bola para a base errada e o jogo nunca decide quando você deveria ter apertado para baixo ou para o lado na hora de arremessar. Enfim, seu controle com a bola é horrível.

Outro problema com o jogo é o quão longo os jogos parecem ser! Eu joguei por uma boa hora e eu não tinha sequer terminado o meu primeiro jogo - ele só continuava indo e indo. Eu sei que americanos adoram esportes "organizados" (agora é a hora do ataque, agora é sua vez e eu defendo) como baseball e futebol americano, mas isso só passa a sensação de que eles demoram uma eternidade maior do que sua durabilidade que já é bastante longa.

Assim como a sua mãe, essas estatísticas nunca
significaram nada para mim
Além dos controles confusos, a música não é lá grande coisa. O jogo parece apresentar apenas alguns pedaços de música muito repetitivos. Visualmente, porém, o jogo está bem. OK, você não vai ficar surpreendido, e os gráficos parecem muito datados e básicos agora, mas eles são suficientemente bons para a época do jogo e não se parecem com uma bagunça na tela; Você pode facilmente dizer o que é tudo e o que os jogadores estão destinados a ser.

Apesar da minha infelicidade com os controles do jogo, Tommy Lasorda Baseball tem algumas boas ideias nele.

Por exemplo, quando você está prestes a lançar você tem pequenas janelas nos cantos que mostram os movimentos dos adversários que já estão em bases e você pode vê-los se afastando das bases para correr. Ao invés de jogar para o rebatedor você pode jogar para as bases e eliminar os safados que se adiantaram demais.

Verdade que porque o jogo precisa mudar de ângulo de câmera e por causa das reações aparentemente atrasadas dos controles, eu nunca consegui pegar nenhum deles de surpresa (eles sempre voltaram a tempo). Mas foi uma característica muito legal.

Corre pra longe dessa base, motherfucker! I dare you!
I double dare you!
Deixando de lado a minha ignorância para com o esporte, Baseball Tommy Lasorda é atrapalhado por alguns controles muito confusos e respostas lentas dos controles. Além disso, embora eu entenda que durante um jogo de beisebol da vida real a atmosfera no estádio pode ser elétrica e a tensão entre as partes pode ser agradável para todos os interessados, achei que jogar este jogo mais como uma tarefa do que qualquer outra coisa. Jogar a bola é tedioso, especialmente quando você não pode controlar seus fielders corretamente e rebater é mais loteria do que habilidade

Tenho certeza Tommy Lasorda é um grande nome no mundo do beisebol, mas seu jogo certamente não vai cair nos anais da história do videogame como um dos grandes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário