sábado, 13 de maio de 2017

[AÇÃO GAMES 007] FANTASIA (Mega Drive)


Quando eu vi Fantasia na lista de piores jogos do Mega Drive, eu sinceramente não entendi. Afinal, Castle of Illusion, que veio antes, é um dos melhores jogos do console, o quão dificil seria fazer outro jogo bom do Mickey?

Mas quando eu vi o Velberan falando mal do jogo - ele nunca fala mal de jogos antigos, por mais que eles mereçam - eu comecei a levar a sério essa crítica. Eu passei a esperar que o jogo fosse um pouquinho ruim, mas nada no mundo me prepararia para o que eu vi aqui.

O horror. Eu vi o horror.

Ok, não parece tão ruim assim...
Fantasia para o Mega Drive é facilmente o pior jogo da Disney já feito. E olha que eu nem joguei todos, mas sério, não tem como ser muito pior que isso não. Baseado no filme experimental de Walt Disney de 1940 que combinava música clássica com animação, este tem jogabilidade horrível, design de nível terríveis e controles. piores ainda. Eles não conseguiram sequer acertar a  música , e considerando que é o que o filme foi construído em torno você pensaria que, pelo menos, teriam colocado algum esforço nisso.

Desde que o filme não teve nenhuma trama geral, os criadores pegaram o segmento que é menos onírico e fizeram o jogo a partir disso - igual a Moonwalker. Mickey Mouse (vestido como o Aprendiz de Feiticeiro) está dormindo quando um vento maligno sopra de fora, e acaba roubando todas as notas musicais soprando as notas da partitura. Agora Mickey deve fazer o seu caminho através de vários níveis com base nos diferentes curtas de animação do próprio filme para obter as notas de volta para que a orquestra possa tocar. Ok, não é a pior ideia que eu já vi para adaptar um filme, o que fode tudo é a execução mesmo 

Primeiro de tudo, Mickey é uma desgraça de se controlar. Ele tem dois ataques à sua disposição - saltar sobre os inimigos com a bundada ou disparar rajadas de magia. Infelizmente, nenhum destes vai te ajudar muito. A bundada, presente em Castle of Illusion agora funciona se você apertar para baixo durante o pulo - o que é tão ruim e contraintuitivo em um jogo de plataforma quanto parece.

...I was wrong! Bad touch! Bad touch!
Stranger danger!
Além disso a detecção de colisão nesse jogo é pavorosa e o jogo meio que decide aleatoriamente se você toma dano ou não quando pula em cima do inimigo (como se tivesse pulado na frente dele). Considerando que muitas passagens do jogo exigem que você precisa "bundar" vários inimigos em sequencia, imagine o quão ruim é esse negócio.

O outro ataque a disposição é um disparo de magia, mas isso gasta e você acha tão pouca munição no jogo que nem dá pra contar como um recurso realmente.

 Mas o pior problema do jogo mesmo são os controles ruins, há um lag inexplicavel entre apertar o botão e o Mickey agir, tornando toda a experiencia como se você estivesse tentando rodar um emulador de PS4 em um computador ruim. Adicione tudo isso a um número absurdo de inimigos (já vi bullet hells que tinha mais espaço na tela para você ficar sem ser atingido do que aqui. Não, sério mesmo, olha só isso:

Agora imagine que as cabeças estão se movendo rapidamente de forma aleatória e o seu controle tem um lag de um segundo para cada comando que você apertar no botão. De repente a parte das medusas em Castlevania não pare mais tão ruim assim, hã?

As fases são enormes e tem diversas areas secretas, mas é difícil desfrutar desta característica quando você está constantemente lutando com os controles desleixados e a dificuldade obscena do jogo em si.

Como mencionei, o objetivo do jogo é encontrar todas as notas musicais em todos os níveis. E as notas estão escondidas ... muito bem. Alguns estão em lugares abertos, alguns estão trancados em áreas secretas que você tem que descobrir por conta própria (e não há dica de onde procurar), e alguns são realmente invisíveis até que você salte ou atire no ponto certo na tela. Sim, aleatório desse jeito.

E se você chegar ao fim do nível e não tiver todas as notas, o maestro da orquestra vai forçá-lo a voltar e jogar o nível de novo. E sim, você tem que coletar todas as notas por toda parte, mesmo as que você pegou. E não, o jogo não diz em nenhum mostrador quantas notas são, quantas faltam nem nada. TE VIRA, LE MAGRONE!

Alguns jogos acreditam em colocar os itens coletaveis
do jogo visiveis na tela para o jogador ir até eles
e pega-los. NÃO FANTASIA, CACE ITENS INVISIVEIS
FILHO DA PUTA!
Mas puta que me pariu em chamas! Em chamas cadavéricas ululantes do inferno!

E qual é a sua recompensa por todo esse castigo? Possivelmente um dos piores finais que eu já vi em videogame. Não há nenhum chefe final nem nada. Na verdade, o último nível simplesmente para completamente porque os programadores ficaram sem tempo, e não conseguiram terminá-lo. E se você limpar o último nível com todas as notas, você terá um final curto e sem inspiração que fará com que você queira arrancar o jogo do seu videogame a lá Angry Videogame Nerd.

Os gráficos são a única coisa boa que posso falar a respeito de Fantasia, porque o som... Mesmo que o jogo use as peças reais da música clássica que eram do filme, elas soam mutiladas e truncadas através do chip de som do Mega Drive. Sim, você pode desfrutar de "Toccata e Fugue in D Minor" de Johann Sebastian Bach interpretada pelo que soa como um sintetizador de brinquedo quebrado. Ou então as seleções de Tchaikovsky ''Suíte do Quebra-Nozes'' executado por uma sequencia primitiva de '' blips '' e '' bloops ''?

 Se isso não fizer seus ouvidos sangrarem, nada mais irá

Sério, eu não tenho idéia do que aconteceu aqui. Eles tiveram uma ótima idéia, e arruinaram ela em quase todos os sentidos possíveis. Fazer o pior jogo da história de um videogame é uma tarefa dificil, mas de alguma forma a Inforgrames conseguiu. Todos os envolvidos estão de parabains, Shinji.





Nenhum comentário:

Postar um comentário