sábado, 8 de abril de 2017

[TÚNEL DO TEMPO] AÇÃO GAMES 003

Seguindo minha sanha de MESTRE SUPREMO DOS GAMES, hoje falaremos sobre a Ação Games 3 e os seus jogos. Vem comigo!




A coisa que eu mais gosto na resposta da revista é que fica parecendo que a SEGA não competia com a Nintendo pelas franquias famosas apenas porque, sei lá, não tava muito afim, né?

O mundo dos negócios é tão simples as vezes...

De qualquer jeito, a SEGA nunca lançou um jogo das Tartarugas Ninja para Master System, mas naquele mesmo ano (1991) lançaria a sua versão de Turtles in Time para o Mega Drive (chamada Hyperstone Heist).

Quanto ao Robocop, bem, demorou um pouco mais para realmente ver a luz do Mega Drive só aparecendo mais para o final da vida útil do console com Robocop 3 e Robocop vs Terminator.



Podemos apenas tirar um minuto para apreciar a magia das gírias da época?

E assim, quietinho, perdido numa sessão de cartas, um dos momentos mais iconicos e mágicos da história dos videogames. Foi a primeira vez que o Brasil-sil-sil ouvia falar do lendário código da Konami, o macete que se tornou um icone da cultura pop por si mesmo.

Eles não podiam saber aquela altura, mas estavam fazendo história!

O código Konami foi criado em 1985 por Kazuhisa Hashimoto, programador da conversão do jogo Gradius, lançado no ano seguinte para Famicom e NES. Por achar o jogo muito difícil durante os testes, criou o código que dá ao jogador todos os powerups, que normalmente devem ser adquiridos no decorrer do jogo. Além disso, quando digitado inversamente fornece 30 vidas ao jogador. Por razões desconhecidas, ele não removeu o código após finalizar o desenvolvimento do jogo e isso acabou se tornando um dos pilares da cultura videogamistica em suas origens







Eu não tenho muita certeza se eles realmente queriam dizer distonia ou sequer saibam o que isso significa (porque naquela época a única resposta era levantar procurar um dicionário, não tinha no celular), porque a distonia é um problema com reações involuntárias dos músculos.

Mas não sei, talvez isso cause suor. pode ser. De toda forma, nunca tinha pensado nisso do filminho plástico. Taí.









Ok, para tudo, para tudo, para tudo! Essa notícia é exponencialmente mais interessante do que você pode imaginar. Na próxima edição da Ação Games eu jogarei Futebol e contarei a louca história de como eu tive um jogo hentai sem nunca ter desconfiado! AV World Soccer, em breve!

Espera, espera, espera. Vocês estão me dizendo que a Nintendo entrou com uma ação de Cease and Desist contra alguém porque achou que suas patentes e propriedades intelectuais estavam sendo violadas por não serem jogadas da forma que eles pensaram? (no caso contra o Game Genie).

Desculpe, bom senhor, mas eu simplesmente não posso acreditar que Nintendo faria uma coisa dessas! Não, não a Nintendo!










Já na finaleira da vida útil do Master System, a SEGA lançou um Master System portátil chamado Game Gear. Embora o marketing nunca tenha dito isso, na prática o GG tinha um hardware muito parecido com o Master System e a sua capacidade (bem, tecnicamente, ele é melhor que o Master System na verdade).

O Grande Velberan fez um excelente vídeo sobre ele:


Sério, quem teve a ideia de fazer um portatil que consumia 6 pilhas em 4 horas? Puta merda, viu...

 Agora a coisa mais interessante dessa matéria da Ação Games sobre o Game Gear é... puta que me pariu, quem foi o idiota que colocou esse fundo na revista? Não dá pra ler nada! Porra, eu sei que a revista era editada em um Atari 2600, mas custava dar uma olhada antes de imprimir? Vão se foderem, na moral...

JOGOS DESSA EDIÇÃO

- Bart vs Space Mutants (NES)
- Alex Kidd in the Enchanted Castle (Mega Drive)
- Moonwalker (Mega Drive)

Nenhum comentário:

Postar um comentário