sábado, 1 de abril de 2017

[GAMES] LAST BATTLE (Mega Drive) [AÇÃO GAMES 002]



No começo dos anos 80 o roteirista de mangas Yoshiyuki Okamura, após uma maratona de filmes de ação, decidiu que seria o japonês mais macho de todos os tempos. Enquanto para muitos essa ideia passaria junto com a ressaca do dia seguinte, Okamura levou a porra a sério: ele mudou seu nome artistico para Buronson (em homenagem a Charles Bronson) e escreveu o seu próprio Comando para Matar no universo de Mad Max.


Nascia assim o manga mais macho de todos os tempos, Hokuto no Ken (que junto com JoJo Bizarre Adventure moldou a própria definição do que viria a ser um manga shonen pelos próximos... bem, para sempre na verdade). Talvez você esteja duvidando do quão másculo esse manga é, então me permita te iluminar com uma cena:


Desnecessário dizer que as aventuras de Kenshiro pelas terras devastadas ganharam muitas adaptações para videojogos, afinal que moleque da época não gostaria de gritar "WATATATATA WATAAA!" e então esperar o inimigo dizer que o golpe não fez efeito nenhum para poder encerrar com "Você já está morto" antes do seu corpo começar a implodir. Foda, né?

Hokuto no Ken : Shin Seikimatsu Kyuseishu Densetsu é um desses. Só que havia um problema no lançamento americano do jogo: como lançar um jogo japones de um anime que nunca foi exibido nos US and A?

Pensando nisso, a SEGA lançou o jogo na América sem relação alguma com o anime. Ele passou a se chamar "Last Battle", Kenshiro virou Arzaak e o resto que Deus nos ajude...

Na versão japonesa, a cabeça dos inimigos explodia igual ao anime.
Na versão americana eles simplesmente saiam voando de uma forma ridicula.
Curiosamente, esta não foi a primeira vez que isso acontecera, jogo do Kenshiro havia sido lançado no Master System sob o nome de "Black Belt". É engraçado pensar que antes mesmo de saber sobre manga e anime, eu tinha jogado dois jogos (horríveis) baseados em um.

Mas vamos falar do jogo, que tem um grande problema: o jogo próprio jogo.

Ele tenta emular Altered Beast, que saiu muitos anos antes, com tanto sucesso quanto eu fazendo um perfil no Tinder. Os controles são muito desajeitados e lentos, tentar saltar sobre os obstáculos é doloroso e se virar para atacar os inimigos que vem por trás demora mais que uma votação no congresso.

Basicamente o que você faz em uma fase é atravessar a tela em linha reta enquanto inimigos aparecem. E só. Durante quase uma hora inteira. Sério. Eu tenho desafio a te fazer: rode o video desse gameplay e coloque em qualquer ponto aleatório do jogo. O que você vai ver é sempre exatamente a mesma coisa, não importa em que parte você coloque o video.


Uau, eu simplesmente não tenho palavras para descrever o quão chato é esse jogo. De verdade.

Quando termina a fase  você tem um mapa tipo Mario 3 para você escolher aonde ir. Mas onde você tem que ir? Simples, no final da fase algum NPC te diz o proximo lugar para ir. Vá a livraria, vá ao banheiro, vá ao estádio. Ok, só tem um problema: o jogo não coloca nome nas fases, então o "domo" pode ser qualquer uma dessas fases. Para descobrir só entrando e caminhando em todas elas!
Cada uma delas! Fuck!

Como se não estivesse ruim (e chato) o bastante, você só tem uma vida. Uma. Sem continue, sem passwords. Você morre uma vez, nem animação tela de game over ganha: está de volta à tela de título. 

"Peguem ele!"
"Ele é o Kenshiro, to dando o fora!"
Claro, sua saúde enche um pouco por boss morto, mas não é nem de perto suficiente. Eu joguei muito jogos 8-bits "completamente injustos devido a virem de arcades papa-ficha" que eram mais generosos (e divertidos) que isso.

Dito isto, como você é suposto para completar o jogo eu não faço idéia. Você pode colocar códigos de game genie de vida infinita para ver fases posteriores do jogo, mas vou ser honesto com você: não vale a pena. Eles não tem nada diferente, não é uma experiencia nova e sim apenas prolongamento do seu tédio. De verdade, não jogue este jogo. Não é nem "tão ruim que é bom", é "tão ruim que é ... ruim" 



Nenhum comentário:

Postar um comentário