sábado, 1 de abril de 2017

[GAMES] GHOSTBUSTERS (Mega Drive) [AÇÃO GAMES 002]



Se alguma coisa comprova que fantasmas existem, pode ser sobre o quão dificil é fazer um jogo bom dos Caça-Fantasmas. Quer dizer, são caras com mochilas nucleares que atiram em fantasmas, não pode ser tão dificil assim, certo? Só que parece que é. Muito.

Após uma série de jogos fisicamente dolorosos para a geração 8 bits, o jogo do Mega Drive foi o primeiro jogo da série de filmes superestimada que é realmente jogavel. O que é bom, pero no mucho mais que isso...


O primeiro sub-chefe do jogo é o urso do Five Nights at
Freedies saindo de uma cartola de um mágico sem cabeça.
Meth. Not even once.
Verdade seja dita, o jogo tem uma ideia legal pelo menos: lançado mais ou menos na época de Caça-Fantasmas 2, ele não é um remake do filme e sim uma aventura que se passa após o primeiro. Ok, isso é bom.

Nesse caso você tem quatro casas para livrar de fantasmas, na ordem que você quiser - o que é bom - surgem mais dois lugares mal assombrados para encerrar o jogo.

Os gráficos são bastante legais, escolheram reinterpretar os personagens do filme como personagem SD... exceto o Winston. Sério, SEGA, WTF? Mas enfim, ao menos o jogo é gostoso de se ver, os chefes tem um visual bacana, os inimigos são decentes, as animações são boas (o gelo e o fogo são muito bem animados até). 

A música é boa, apesar de você não vai realmente notar que vai ficar em sua cabeça. Algumas telas tem temas do filme, mas não as fases do jogo

O real problema é que não só este jogo é extremamente difícil, mas acaba ficando por conta disso. A ideia é muito boa: você tem um estágio estilo metroidvania e tem que explora-lo para eliminar todo os sub-chefes antes de poder enfrentar o chefe. Se estiverem acabando suas vidas você pode sair da fase e comprar mais vidas com o dinheiro que ganha matando fantasmas. Até aí beleza.

O que é mais creepy? O Bill Murray SD ou a cara saindo da
parede?
O problema é que a dificuldade torna muito contramão navegar pela fase e todo o processo se torna desnecessariamente complexa ao ponto que estraga a diversão da coisa toda.

No início, você pode escolher qual personagem você deseja jogar entre Raymond, Peter e Egon. A única diferença é que um é lento mas forte, o outro rápido mas fraco e o outro é médio. Isso realmente não afeta muito a jogabilidade. 

Como eu disse, o objetivo do jogo é coletar o dinheiro limpando casas dos fantasmas. Com o dinheiro, você pode comprar itens (quase todos inúteis) e armas (que gastam energia e só tem uma boa realmente, a do tiro triplo). 

Mesmo no modo fácil o jogo é muito difícil - infelizmente não em um sentido bom mas sim no  modo apelativo mesmo. Os fantasmas simplesmente saem do nada, quicando nas paredes e depois em você, é extremamente difícil evitá-los ou atirar neles antes que eles te acertem. Há muitos fantasmas então você fica meio que o tempo todo sendo acertado sem poder fazer muito a respeito, e isso é irritante. Você está tentando acertar um fantasma, mas de repente 3 outros atacam você. 

Olha, finalmente um jogo que você captura fantasmas com sua
mochila de protons! Tudo bem que é só os sub-chefes, mas
mesmo assim... o quão dificil pode ser um jogo dos
Caça-Fantasmas onde você realmente cace fantasmas?
As lutas contra os chefes são muito apelativas, não existem pontos seguros na movimentação deles que você não seja acertado. O que o jogo quer não é testar sua habilidade, e sim sua paciencia de farmar itens. Aí é dificil manter a amizade.

Se algo estranho acontecer na sua vizinhança, você já sabe quem não chamar: um jogo de videogame dos Caça-Fantasmas, pelamor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário