quarta-feira, 1 de junho de 2016

[FILMES] CAPITÃO AMÉRICA 3: GUERRA CIVIL (ou a DC sangrou)

Vou te propor o seguinte exercício: passe 3, 4, 5 horas apertando uma sequencia de botões conforme uma tela te diz para apertar. Parece um roteiro para a loucura, mas não é o que é um videogame em essência? Você aperta uma sequencia de botões em uma ordem especifica em resposta as informações oriundas de um programa, como isso não fica sacal?

Contexto. Contexto é a resposta. O que difere os moleques gritarem "uoooooo o Kratos é foda" quando jogam God of War de "pff, isso é chato" quando jogam o semi-clone Castlevania? Contexto. Contexto é tudo e não apenas em videogames, mas em quadrinhos, livros, séries e filmes.

Existe um principio narrativo que diz "não conte, mostre" o que significa que não adianta colocar um cara fortão de colant com uma plaquinha no pescoço "ele é foda", o leitor/jogador/espectador vai apenas responder "tomate cru é vitamina". O que você tem que fazer é deixar o espectador chegar a essa própria conclusão por conta própria, só que tem um porém: isso dá trabalho.

Não existe caminho fácil para fazer isso senão sentar a bunda na cadeira e escrever a coisa toda para quando chegar o grande momento o contexto fazer a coisa funcionar, em um processo gradual e lento. Requer paciência, requer talento, requer timing.

Isso é o que a Marvel faz com seus filmes. A DC é a criança que só quer pegar o bonequinho e fazer "pffiiu-paw-paw-bow".

Por isso Guerra Civil e Batman v Superman são filmes bastante parecidos, mas um é um excelente filme e o outro é só uma criança brincando com seus bonecos.

FAZ SENTIDO SIM, FELIPE NETO

Civil War e BvS não são apenas sobre heróis bifando uns aos outros, um dos temas principais é também os heróis sendo responsabilizados pelos danos colaterais. É o motivo pelo qual Bruce Wayne odeia o Superhomão e o mesmo motivo pelo qual os Vingadores são divididos  pelo Acordo de Sokovia

Qual a diferença? Um desses está sendo desenvolvido a quase dez anos, enquanto o outro foi desesnvolvido no curso de uma hora - no máximo. Pense sobre isso, DEZ ANOS. Quantas pessoas na sua vida você conhece a mais de dez anos? Que tipo de pessoa você era a dez anos atrás? É praticamente outro mundo alienígena. Temos mais de uma década com esses personagens da Marvel, então quando o Homem de Ferro se vira contra o Capitão América depois de serem aliados por tanto tempo ISSO SIGNIFICA ALGUMA COISA.

Em BvS os personagens a recém se conheceram (embora o Super cresceu em um mundo onde o Bats já é vigilante a mais de vinte anos e age como se nunca houvesse ouvido falar nele) e eles sentarem a porrada um no outro só tem qualquer valor porque nós espectadores sabemos quem é o personagem de outras mídias, o filme por si só não constrói nada. Pior do que isso, são estranhos saindo na porrada por causa de um mal entendido estúpido e pessimamente desenvolvido. Não fossem os NOMES dos personagens, ninguém daria a mínima para isso.

Essa é outra grande coisa a respeito de Guerra Civil: o conflito realmente faz sentido e você consegue ver ambos os lados da discussão. Mesmo que eu ache que o Capitão América esteja "mais certo" na questão, certamente não é uma ideia estapafúrdia e absurda a proposta de deixar as Nações Unidas decidirem sobre o que os Vingadores fazem ou deixam de fazer

Mais importante que isso: o lado pessoal de Tony Stark faz todo sentido do mundo. Pergunte a qualquer policial ou bombeiro o quanto ele se sente mal pelas pessoas que ele não conseguiu salvar, melhor ainda: se imagine na pele desse bombeiro que falhou no seu trabalho fazendo o melhor que podia e então chega alguém e te oferece assumir toda a responsabilidade e culpa pelos seus atos. É humanamente tentador, não? Eu consigo me relacionar com isso. Eu não apoio a escolha do Homem de Ferro, mas eu totalmente consigo entender porque ele escolheu isso.

E o próprio argumento da ONU não é sem nexo: parece idiota querer culpar os Vingadores por SALVAR O MUNDO, mas claramente isso é apenas uma desculpa usada para tomar poder e controle que é o que governos e políticos fazem por natureza. Se não fosse isso, seria outra desculpa mais furada ainda. É assim que as coisas funcionam no nosso mundo - ao contrário de BvS onde o ódio contra o Super parece pura e simplesmente por ele ter salvado o mundo mesmo.

Novamente você pode não concordar com a ONU mas nem precisa, o que o filme precise é que você compre o sentido da coisa. Ou seja, é uma questão complexa e com vários pontos - definitivamente mais do que "ele salvou o planeta inteiro então não podemos confiar nele".

TORNE AS COISAS PESSOAIS MAS NÃO IDIOTAS

BvS protagoniza uma das cenas mais estúpidas da história do cinema onde o Supers e o Bats se tornam BFF porque do nada o Supers chamou a mãe dele de Martha quando estava morrendo sem motivo nenhum (ao invés de dizer, sei lá, MÃE que é o que qualquer um diria). A coisa é que realmente torna necessário colocar um tempero pessoal em uma trama, Tony Stark ter uma motivação pessoal além da filosófica ajuda muito a coisa.

E o lado da história dele é bem construído: ele sente a culpa das mortes dos inocentes combinados com a separação no casamento (ou qualquer que seja o acordo que eles tenham) com Pepper Pots, e quando você acha que está passando por uma fase ruim na vida que tudo dá errado ao mesmo tempo, ele leva um gancho no queixo ao descobrir que o melhor amigo do seu amigo/figura de autoridade assassinou seus pais a sangue frio.

ISSO é um motivo para fazer qualquer um surtar. Quando o Capitão América grita para o Homem de Ferro que Bucky não sabia o que estava fazendo, Tony Stark ainda pergunta se o Capitão podia provar isso - o que ele realmente não tinha como fazer. No calor do momento, a teoria conspiratória sem provas de soldados soviéticos programados mentalmente é bem menos relevante do que o fato de que O CARA MATOU A MINHA MÃE. Quando fazem exatos quinze segundos que você acabou de descobrir isso, é um motivo MUITO MAIS DO QUE RAZOAVEL para começar uma treta.

Enquanto isso, no outro canto do ringue temos um Batman que decidiu que quer matar o Superman porque ele PODE ser perigoso sem nem conversar com o cara. E o Superman tem que lutar com o Batman porque... bem, ele não tem motivação nenhuma realmente. Tão zero que o roteiro recorre ao vergonhoso "ele sequestrou minha mãe" que até filmes dos anos 80 tinham vergonha em usa-lo

Em parte isso se dá devido ao fato que o Super tem menos de 40 falas no filme inteiro (o Homem Aranha, fazendo uma participação especial - totalmente awesome - tem mais falas que o Superman, apenas por curiosidade) e a menos que você saiba EXATAMENTE o que está fazendo, isso não funciona (sim, George Miller sabe o que está fazendo e muito).

Compare as motivações que levaram as lutas e perceba o quanto um é bem construído e trabalhado, e o outro não tem vergonha alguma de ser o mais preguiçoso possível.

Homem Aranha falando como uma lavadeira e achando
seu trabalho super incrível, não era tão difícil assim, Sony, era?
UM VILÃO COM UMA MOTIVAÇÃO CLARA E UM PLANO CRIATIVO

Se tem algo que consegue ser pior do que os protagonistas em BvS é o seu vilão, Lex Luthor. Não apenas porque a atuação de Jessie Eisenberg pareceu meio deslocada (Mark Zukemberg chapadaço de dorgas), mas porque NADA DO QUE ELE FALOU FEZ O MENOR SENTIDO

Porque Lex odeia o Superman? Nunca é dada uma razão além de discursos vagos e adolescentes sobre deuses e poder. Porque Lex quer matar o Batman, alguém que ele não conhece ou tem alguma relação? Porque ele construiu o Apocalipse? (não vou entrar nem no mérito de COMO, já é ofensa o suficiente a inteligência de alguém). Como ele planejava controlar o Apocalipse? Porque o plano de Lex é mais ou menos destruir tudo apenas pelo prazer de destruir? Lex Luthor, um dos personagens mais inteligentes da DC, foi reduzido a uma copia barata do Coringa que quer a zoeira apenas pela zoeira

Em guerra Civil, Zemo é uma história completamente diferente. Ele é um zé-ninguém, só um cara cuja família morreu enquanto os Vingadores lutavam contra Ultron. Se os Vingadores estavam certos ou errados, FODA-SE, ele apenas quer vingança.

Todos acompanharam o raciocinio de Zemo até agora, certo? Parece coerente. Então a pergunta que fica é: como você derrota os heróis mais poderosos da Terra sendo só um cara quando gente muito mais poderosa do que você já tentou e falhou?

Durante o curso do filme, Zemo é visto fazendo pequenas coisinhas sem relação alguma, meio que como se ele estivesse em outro filme completamente diferente. Eu até brinquei que ele nem estava fazendo parte do filme. Só que as "coisinhas" que Zemo estava fazendo discretamente eram cordas para serem puxadas e fazerem os Vingadores saírem na porrada uns com os outros sem colocar o dele na reta, porque ele mesmo não aguentaria meio segundo com esses caras se os holofotes se virassem para ele.

Sutilmente e de uma forma muito inteligente, ele meio que conseguiu o que queria. Os Vingadores se separaram e saíram no braço e embora ninguém tenha morrido no processo, a rachadura no time foi feita. Até onde é permitido vilões terem sucesso em filmes de heróis, Zemo foi impecável em suas manipulações (sem que nenhuma cidade fosse varrida do mapa no processo)

"O quão rica Wakanda é? Bitch, nós contratamos a
Shakira para compor nosso hino!"
UM EXERCICIO DE INSANIDADE

Vou te propor um exercício mental tão cruel que deveria ser uma carta de mito em Eldritch Horror: imagine se Batman V Superman tivesse o ELENCO INTEIRO da Liga da Justiça nele. Porque sério, embora eu não tenha nada contra a princesa Diana a participação dela pareceu apenas um Easter Egg sem coerência alguma, imagine todo o resto da Liga.

Normalmente eu acredito que pessoas que ligam o celular no cinema devem ter um lugar especial no inferno, mas eu totalmente perdoaria em BvS porque checar quanto tempo de tortura ainda faltava era uma necessidade humana.

Curiosamente Guerra Civil é um filme mais longo, com mais personagens (mais até do que Vingadores 2) e ainda sim é um filme menos cansativo. E ainda foram apresentados dois personagens novos!

Ao contrário da Mulher Maravilha que ficou com uma cara de "estou sobrando e muito nesse filme", cada um dos heróis ali tem seu momento para brilhar. Ninguém em sã consciência diria que a participação do Homem-Formiga não é legal pra caralho, ou que a Feiticeira Escarlate ou o Visão estão sobrando no filme (ao contrário até de Vingadores 2, onde os dois estavam de fato sobrando no filme).

O segredo disso é que o filme alterna com perfeição cenas leves, cenas de ação e cenas importantes e não a procissão de trevas e sombras sem alma que Zack Snyder chama de "filme". Editar o ritmo é a tarefa mais importante de um diretor, é assim que se constrói qualquer narrativa e o senhor Snyder é pavorosamente ruim nisso porque todo adolescente acha que ser dark e trevoso o tempo todo é o máximo. Em contraste a isso, os irmãos Russo mostraram que entendem pra caralho de como fazer bom cinema e quando levantar e diminuir o ritmo.

Com duas horas e meia, Guerra Civil não é um filme cansativo.
Qualquer coisa mais longa do que os trailers de BvS é fisicamente doloroso.

"Não, gente, sério, se alguém tiver algum super
poder na manga, a hora é essa"
MUITA SERIEDADE SEM NENHUMA DIVERSÃO FAZEM DE VOCÊ UM BOBÃO

Guerra Civil termina conforme o esperado, os Vingadores fazem as pazes para enfrentar a ameaça do vilão. Só que não. Não há "ameaça do vilão" nenhuma e o filme termina com o Capitão América, o Soldado Invernal e o Homem de Ferro sentando a porrada um no outro em uma cena que não é só magnificamente coreografada mas emocionalmente tensa e divertida de se assistir porque, mais uma vez, CONTEXTO IMPORTA e muito.

Tão importante quanto isso, não existe reparo completo na fratura sofrida. Bem, nós imaginamos que todas as diferenças serão deixadas de lado quando o big motherfucking Thanos pisar na área, mas por hora o filme cumpre o que se propôs a fazer. Eu gosto de como o filme não tenta resolver tudo magicamente, certamente não precisamos de outro momento "Martha" onde o Batman para de tentar matar o cara porque a mãe dele tem o mesmo nome, e no instant seguinte já o melhor amigo dele. Faz pouco, para não dizer nenhum, sentido.

Claro que não é assim que BvS termina: termina com uma morte ridícula do Superman que nenhuma criança no cinema levou a sério. Não há ser humano no planeta que acredite que a DC vá matar seu principal herói no segundo filme do universo expandido  e fica a impressão que a "morte" do Homem do Amanhã foi para chocar apenas por chocar. O filme todo tenta chocar apenas por chocar, verdade seja dita.

O racismo começa quando o Máquina de Combate ficou no VS com a
mutante que altera a realidade enquanto o Visão fica com o
soldado da KGB perfeutamente vencível 
Guerra Civil não toma saídas fáceis: nada é para chocar apenas por chocar e isso intensifica os fatos apresentados. Eles poderiam ter matado o Capitão América ou o Homem de Ferro, ou mesmo dar uma de Harry Potter e matado uma penca de personagens secundários. Seria fácil e impressionaria muito a garotada, mas não, os irmãos Russo são refletidos na figura do Pantera Negra e acreditam que deixar os personagens vivos para lidarem com as consequências do seus atos é muito mais impactante. A verdadeira única baixa do filme é a equipe dos Vingadores

É uma linha muito tênue que separa o mundo chato "trevoso e do mal"de Zack Snyder e o efeito Owari no Seraph onde NADA VAI ME ACONTECER, mas Guerra Civil faz seu caminho nessa trincheira apertada.

Civil War é um filme fenomenal, e pode muito bem ser o melhor filme da Marvel - o que é dizer alguma coisa. Desnecessário dizer, muito melhor até do que Vingadores 2 porque parece que a Marvel aprendeu com seus erros e deixou o filme ser só um filme, não apenas um capitulo de meio de temporada da sua série cinematográfica.

Resta torcer que a DC aprenda com seus erros também e reveja seus critérios, embora otimismo não seja exatamente meu ponto forte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário