segunda-feira, 4 de abril de 2016

[FILMES] BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS (ou o melhor gerente de RH do mundo)

Pergunte qual o melhor filme de super-heróis de todos os tempos e 7 entre 10 nerds te dirão que é Batman - The Dark Knight. Dois dirão, arrumando sua boina hipster, que é Watchmen e o último corrigirá esses dois dizendo que Watchmen não é um filme de SUPER heróis, apenas heróis. Então eles começarão a discutir sobre as implicações psico-sociais da existência (fictícia) do Dr. Manhattan e tudo terminará com muitos xingamentos no twitter e vídeo-resposta no canal do youtube de alguém.

Ah cara, como eu detesto pessoas... mas onde eu estava mesmo? Ah sim, o Cavaleiro das Trevas.

Aclamado por muitos como o melhor filme de heróis de todos os tempos, não tem como não assistir esse filme e realmente constatar o quanto ele é ... ruim. Ok, ok, calma. Respire fundo e venha comigo, talvez você aprenda alguma coisa no caminho.

Vamos apenas agradecer que o filme não foi
feito nessa decada
TRAGAM UM OSCAR PARA ... AH, JÁ FIZERAM

Responda rápido: qual o super poder do Coringa? Se você disse que ele não possui nenhum poder (além de ser louco), então obviamente você não partilha da visão do nosso querido Chris Nolan sobre o palhaço do crime.

Neste filme o Coringa tem os poderes do Homem Purpura (talvez por isso seu sobretudo roxo), porque ninguém menos do que o próprio Killgrave conseguiria um exercito tão absurdamente leal de pessoas tão eficientes. Sério, como diabos o Coringa consegue tanta gente absolutamente incorruptível assim?

Na cidade inteira nem o vendedor de cachorro quente (e o filme se esforça muito para deixar isso claro) é acima da tentação, mas os homens do Coringa, há, esses são gênios em seus próprios campos com a devoção de um cachorro treinado a um ponto que beira o absurdo.

Vê, o problema é que a coisa é tão forçada que destrói completamente a suspensão da descrença. A maior parte das coisas que o Coringa fez, ele possivelmente não pode ter feito sozinho ou mesmo com um pequeno grupo, teriam sido necessários anos de planejamento dirigindo uma equipe enorme para fazer as coisas que ele faz e os resultados são impressionantemente precisos.

Então ou o Coringa tem um vira-tempo, ou ele é o melhor gerente de RH do mundo e sabe onde encontrar as pessoas certas. Caralho, a policia de Gotham não consegue fazer um cafezinho sem vazar corrupção, mas os malucos do Coringa (sim, essa é a explicação que o filme dá - eles são loucos, então está explicado) são incorruptíveis e eficientes como o cão. A policia nunca pensou em contratar esses caras não?

Mas verdade seja dita, o Coringa não é o problema do filme. Pelo contrário, é o que realmente vale a pena devido a grande atuação do Heath Ledger - uma atuação tão boa que conseguiu ofuscar os rombos crassos de lógica e roteiro que o personagem tinha. Ele é tão bom e tão convincente que quando ele está em cena você esquece que nada daquilo faz o menor sentido.

Pegue a cena do hospital, por exemplo. Não faz sentido nenhum, quando o Coringa conseguiu colocar aquilo tudo de explosivo no hospital sem NINGUÉM perceber? Caralho, o Estado Islamico tem sonhos molhados em ter esse tipo de habilidade e não chega nem perto, definitivamente não faz sentido nenhum mas honestamente, isso não importa.



O Coringa é tão legal que você sublima o quanto nada daquilo faz sentido em prol da diversão. Quando ele diz para o Duas Caras "Eu pareço alguém com um plano pra você", seu instinto é gritar "sim, é exatamente isso que parece! Um plano enorme e putamente complicado" mas isso não importa realmente porque, como eu já disse, o Coringa é legal pacas.

Até hoje eu ainda não consigo enxergar o moleque do "10 coisas que eu odeio em você" no Coringa por mais que eu me esforce, e se isso não é a marca de uma gigantesca atuação eu não sei mais o que seria.

Ah se o filme fosse composto por um punhado de Heath Ledgers... mas infelizmente o resto do elenco filme não tem a qualidade ou o carisma do cara, e sem ninguém para ofuscar as falhas monumentais de roteiro o resto do filme vem a pique mais rápido do que o PMDB farejando a oportunidade de levar vantagem em algum esquema.




UAIDOUANAQUILMEJOQUER?!?!?!1112E 1!!

Vamos começar com o ponto chave do filme: o protagonista é patético. Você sabe o quão idiota um personagem é quando estamos falando um homem adulto usando uma fantasia de morcego e este não é nem de perto o maior problema dele.

Ao menos o filme anterior, Batman Begins, justificou isso razoavelmente bem. Na verdade é uma armadura militar de 300 mil dólares e o mais importante: os inimigos nem sabem o que ele é direito. Ele é um cara? É um monstro? Ele voa? Dispara laser dos olhos? Ninguém sabe, você só sabe que seus companheiros de crime vão desaparecendo e tudo que você ouve são sons de ossos sendo quebrados!

Há uma certa mística em torno do Batman, BECAUSE I'M BATMAN!

Mas nesse filme não, o Batman tem tempo de exposição demais sob iluminação demais e não resta mística alguma: o filme deixa bem claro que é apenas um cara fantasiado mesmo. Isso diminui muito a moral do personagem, porque o Batman não funciona lutando com 50 capangas diante de uma plateia para todo mundo ver, ISSO não é o Batman. O Batman é o cara que faz os bandidos desaparecerem enquanto eles vão progressivamente se desesperando (o que o jogo Arkham Asylum faz muito bem, diga-se de passagem).

No primeiro filme ele faz questão de deixar bem claro o ponto: o Batman tem que ser uma ideia, um principio, uma entidade. O Batman é aquele cara que mete pavor no coração dos bandidos mesmo quando as outras opções são um alien invulneravel, uma deusa grega de 5 mil anos ou um marciano capaz de controlar mentes e ficar intangível e Batman Begins vende muito bem essa ideia.

Nesse filme tudo isso é desfeito em prol de se exibir na frente de todo mundo.

Mas ok, eu posso aceitar uma ideia diferente desde que seja bem executada - afinal o Coringa sequer louco é nesse filme, ele sabe metodicamente o que está fazendo e mesmo assim o personagem funciona. O problema é que a atuação do Christian Bale é ridícula, para dizer o mínimo.

Como Bruce Wayne ele não convence em momento nenhum, parece apenas um playboyzinho com a profundidade de um pires (ainda não assisti BvS, mas nos trailers o Ben Affleck transmite muito melhor o que deveria ser alguém rabugento, cansado e louco o bastante para fazer o que ele faz). Agora com o uniforme de Batman, Jesus no pogobol, que coisa idiota é aquele Batman...

Duvida? Então me permita afrescar sua memória:



Como ninguém chegou no rapaz e disse "amigo, para que tá feio" é algo que está muito além da minha compreensão. É um humor involuntário que apenas o pior entre os tokusatsus consegue rivalizar mas você não precisa ficar com a minha opinião, o próprio Christian Bale diz que não tem orgulho da sua "atuação" como o cruzado embuçado:

"Eu não fiz exatamente o que esperava fazer na trilogia. Chris [Nolan] fez, mas meu próprio senso pessoal pensou 'Eu não cheguei a acertar. Batman é um personagem muito, muito sombrio e problemático. Eu descobri isso quando coloquei o traje: 'Eu simplesmente me sinto um completo idiota se não usar isso como meio para [mostrar] o eu verdadeiro e mostruoso que ele permite que saia nesse momento'."

Como ele mesmo disse, Bale não fez isso e o seu Batman é realmente um completo idiota.



SOBRE O QUE É ESSE FILME MESMO?

Responda rápido: sobre o que é esse filme? Muito provavelmente sua resposta será "sobre o Coringa fazendo... sei lá... coisas, mas é muito legal!". Ok, certo, show de bola, mas vamos elaborar um pouco melhor essa frase?

Porque até onde me consta, o filme não é sobre porra nenhuma. Não que tenha sido mostrado na tela pelo menos.

Na teoria o filme deveria ser sobre como o Coringa corrompeu e destruiu a única esperança "limpa" de Gotham -  o promotor Harvey Dent. Eu sei disso porque o filme diz isso com todas as palavras várias vezes, essa mania infantil do Christopher Nolan de narrar o que está acontecendo em voz alta lhe confere muitos fãs (de outra forma limitados intelectualmente demais para entender uma história) mas me enche o saco.

Quando o seu Duas Caras faz tanto sentido quanto o
de Batman Forever...
O problema é que eu não vi nenhuma dessas coisas que eles disseram  durante o filme.

Ok, concedo que Dent seja um bom promotor em uma cidade corrupta, show de bola. Só que ele não é tão importante quanto o filme precisa que ele seja, ele não passa essa ideia. Quando ele pira e mata algumas pessoas em uma jornada de vingança, o filme mais de uma vez anuncia que isso iria arruinar tudo pelo qual ele lutou... mas oi?

De que forma isso faria qualquer diferença no processo judicial contra a máfia? Pq é dito que isso acabaria com o processo e os mafiosos sairiam livres, estupro se tornaria obrigatório nas ruas e choveria gilete com álcool todo dia, coisas desse tipo. Eu não sou exatamente versado em direito, mas COMO exatamente o cu tem haver com as calças?

Parece muito que o filme quis forçar um drama barato em cima de algo que não faz sentido nenhum. Outro ponto é que "as pessoas iriam perder a fé na justiça", o que é um ponto que teoricamente faz sentido. Na prática, a teoria é outra.

Em primeiro lugar, o Duas Caras não é exatamente um bandido. Ele não sequestrou um ônibus escolar ou torturou gatinhos: ele partiu em uma jornada de vingança contra os caras que mataram sua noiva e queimaram metade da sua cara. Puta merda, eu sei que as pessoas de Gotham são muito mais estúpidas que o normal (sério, a "opinião publica" é outra ferramenta sentimental barata que é usada a exaustão de forma imbecil), mas existe uma diferença entre ser DU MAUUUUUUUU e querer se vingar por motivos bastante justificáveis.

Se ele tivesse botado bomba em banca de jornal ou colégio de criança eu entenderia.

Maior do que tudo isso, no entanto, é que o filme não consegue vender Harvey Dent como um paladino ilibado aos olhos do publico. Certo, ele é eficiente em seu trabalho como servidor publico mas isso eu também sou e nem por isso a cidade virá abaixo se eu fizer alguma merda. Faltou transmitir essa ideia, em nenhum momento o filme te convence disso.

Tanto que o icônico discurso final do filme realmente soa muito legal, mas não faz sentido nenhum. Fica parecendo que o comissário Gordon disse aquilo muito mais porque soava legal do que por ser algum tipo de verdade, e quando o filme parece esse tom de galhofa em seu momento mais derradeiro é porque algo errado não está certo.

Certo homens, nosso caminho foi bloqueado pelo que
obviamente denuncia uma emboscada. NÃO TEMOS
OUTRO CAMINHO A SEGUIR SENÃO ENTRAR NO
TUNEL INFINITO ONDE SEREMOS ALVO FÁCIL!!
MAS NENHUM OUTRO CAMINHO MESMO!

É, as cenas do filme são preguiçosas e ruins assim.
O VERDADEIRO SENHOR NOLAN PODERIA SE LEVANTAR, POR FAVOR?

Christopher Nolan é um bom diretor. De verdade, ele sabe contar uma história e mais importante: sabe para quem está contando a história.

Interestelar por exemplo é um desastre de filme que não faz quase nada certo exceto uma coisa: ele conta uma história muito complicada de forma que uma pessoa simples possa entender. Então o cidadão que tem o QI médio de uma porta envernizada vê um filme que parece "difícil", entende, e fica todo felizão com o filme (mesmo o filme sendo uma piada mal contada). Isso é um trabalho meticuloso de quem sabia exatamente o que estava fazendo.

O Grande Truque e Inception são excelentes filmes que nas mãos de um diretor menos capaz de sintetizar uma história teriam acabado como retumbantes fracassos. Então o diretor não é ruim, de verdade.

Por isso me estranha muito o quanto o filme é mal dirigido e mal editado. Para começar, o filme é muito longo e tem uma estrutura de arcos ruim. Quando você acha que o filme está acabando, um novo arco esta começando a ser construído e isso é muito cansativo. Uns bons 40 minutos poderiam ser tirados do filme tranquilamente.

Você poderia pensar que o que ficou então é terrivelmente importante, mas foi filmado com uma preguiça que chega a ofender. Eu tenho que me esforçar muito para achar uma cena no filme que faça algum sentido.

A cena que o Harvey Dent queima a cara parece ter saído de um vídeo de videocassetadas (eu até consigo ouvir o Faustão dizendo "Mas olha só o que este mentecapto vai fazer, ô loco meu..."), a perseguição do caminhão tem tantos problemas que eu não acredito que tenha sido revisada em algum momento, a cena da balsa é apenas moralista e brega e por aí vai.

A cena do barco é frequentemente comparada com a Teoria
dos Jogos ou o Dilema do Prisioneiro. Imagino que deveria
ser essa s ideia, mas como tudo no filme ela é mal feita
Basicamente se trata de apertar o botão antes do outro,
não tem escolha moral nenhuma aí o que torna a cena idiota.
Sabe como eu faria a cena da balsa? Primeira cena do filme, mesma situação. Os prisioneiros se recusam a explodir os "cidadões de bem", mas os cidadões de bem sequer titubeiam em mandar pelos ares seres humanos. E depois o Coringa explode os dois. O ponto está provado e as regras da anarquia prevalecem. Muito melhor, não?

Mas do jeito que foi feito, quando o espectador já esta exausto, ficou apenas brega mesmo. Como eu disse, você tem que se esforçar MUITO para achar uma cena que faça sentido quando você pensa sobre ela. UMA. Tipo o Coringa na festa, depois que ele joga a Rachel do prédio e o Batman pula atrás dela.

Desconsiderando o fato de que ela deveria ter quebrado a coluna em 3,1415 lugares (só ver como ficou o carro, mas eu entendo que o esmagamento só está lá pra parecer legal), o que aconteceu depois daquilo exatamente? O Coringa apenas foi embora? Foi isso? Tipo "é, não quero mais achar o Dent, volto outra hora"? Mas como? Heim? Isso não faz sentido!

Quase nenhuma cena nesse filme funciona deveria, desde as mais simples até as mais importantes como a "transformação" do Harvey Dent em Duas Caras, por exemplo. Ela é forçada, absurda, e não crível.

Nm momento ele está arriscando sua vida para salvar a cidade, mas no seguinte, ele se transforma em um maníaco homicida porque sua namorada morreu? E bastou apenas um papo com o Coringa, o homem que a matou, para fazê-lo ?! E como exatamente isso passou a ser culpa do Gordon? A relação entre Harvey e Rachel parecia meio parada e era impossível para saltar para a conclusão de que sua morte enviou sua mente para os abismos do inferno.

Além disso, com as queimaduras que ele tem ele iria certamente ter uma infecção e morrer dentro de dois dias, mas ele foi totalmente funcional e até mesmo capaz de falar sem qualquer impedimento (melhor do que o Batman, na verdade), mesmo que ele parecia uma múmia em A Múmia.

Claramente o Chris Nolan não estava pensando muito sobre nada sequer uma vez quando escreveu esse roteiro, quiça duas.
PROCURA-SE: uma cena em que ela não esteja fazendo
essa cara condescendente de "Que saco, to com sono"

O MULÉ, ME FAZ UM SANDUÍCHE!

Grande parte do filme é dedicada a Rachel Dawes e o quanto ela era, teoricamente, importante para o Batman e o Harvey Dent. Mais uma vez eu sei disso pq o filme falou, porque não é o que aparece na tela.

Em primeiro lugar, a mudança da atriz foi muito infeliz não só pq a do Batman Begins era mais bonita, mas uma atriz muito melhor. Essa Rachel tem uma cara entediada de bunda, cuja única função no filme é ser "a mulher de alguém".

Existe uma coisa no entretenimento chamado "Teste de Bechedel", que é uma analise simples para entender como as mulheres são representadas em determinada obra. O teste de Bechdel pergunta/questiona se uma obra de ficção possui pelo menos duas mulheres que conversam entre si sobre algo que não seja um homem.

Em Batman Begins, Rachel passa com louvor no teste: ela é uma promotora competente com a sua própria agenda e não hesita em tacar um taser na cara do Espantalho apenas pq sim, como não?

Nesse filme ela é relegada ao "seu papel de mulher" e de mocinha indefesa esperando que um cavaleiro de cor a ser definida a salve do que quer que precise ser salva. Promova esse fiasco a Mcguffing do filme e temos um desastre de trem esperando para acontecer.

Fraco. Fraco e amador.

Bem, ao menos teremos um filme do MELHOR Batman
TUDO COMO DANTES, NO QUARTE DE ABRANTES

Em qualquer boa história algo tem de mudar. O herói tem de transformar e realizar algo ou o fim tem que ser diferente do que o início. É por isso que Batman Begins é um bom filme. Mas em The Dark Knight, a única mudança ocorreu com o Duas Caras, um personagem secundário, e de um jeito muito muito muito tosco.

Batman deativou seu Big Brother e o Coringa será enviado para uma prisão que ele certamente vai escapar como já fez NESSE MESMO FILME A MENOS DE MEIA HORA AT´RAS, pq eu devo achar que dessa vez será diferente?

O filme termina com o Batman escapando... espere por isso ... da polícia! Porque um advogado morto dá esperança para uma cidade! Se fez sentido para você, você é uma pessoa melhor do que eu. Ou não.

A verdadeira razão para não haver nenhuma resolução é porque eles queriam dinheiro com uma sequencia que milhões de pessoas iriam esperar na fila durante horas para ver e, em seguida, criticar porque nenhum filme jamais foi ou será tão bom quanto essa obra prima do cinema.

É, nerds não fazem sentido nenhum. Acho que vou fazer meu mestrado sobre a relação entre a falta de vida sexual e a diminuição das capacidades cognitivas, pq só isso explica mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário